Neoliberalismo e Saúde Mental: de que liberdade se cuida?

R$150,00

48 em estoque

SKU: PROAD - 09112022A Categoria:

Descrição

Neoliberalismo e Saúde Mental: de que liberdade se cuida?

Sábados de Março-Abril de 2023

Online, Google Meet

ORGANIZAÇÃO: CENTRO DE ESTUDOS PAULISTA DE PSIQUIATRIA (CEPP) em parceria com o PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO E ATENDIMENTO AO DEPENDENTE (PROAD – UNIFESP)

O CURSO:

Em 2022, o burnout, esgotamento causado por estressado mal administrado em ambiente de trabalho, foi acrescentado na nova versão do Código Internacional de Doenças (CID-11), sendo definido como como um problema de saúde de ordem ocupacional. Em dezembro de 2021, A rede social LinkedIn, centrada em relações profissionais, elegeu a saúde mental como tendência para empresas no próximo ano (2022). A partir da extensão da pandemia, empresas ficaram cada vez mais atentas a relação entre saúde mental e a chamada produtividade. Este curso pretende rever estas relações por meio de uma análise histórico-política de possíveis conexões entre saúde mental e neoliberalismo, partindo das análises de Michel Foucault em seu curso O nascimento da Biopolítica. O filósofo francês inaugura um novo campo de debates, trabalhando o a produção de uma racionalidade liberal a partir de um indivíduo que deve investir em um capital que lhe é próprio, e inclui sua própria biologia: o capital humano.

Existe uma simultaneidade temporal entre a produção deste campo da saúde e a constituição histórica da economia política neoliberal.  Em relação a escola econômica, sua sistematização ocorre durante o Colóquio Walter Lipman, realizado na cidade de Paris em 1938. A economia passa a ser compreendida como um jogo que necessita de uma instituição jurídica que a emoldura, distribui suas cartas e define suas regras.  Deve-se definir uma moldura mais racional no qual os indivíduos se dedicarão às suas atividades de acordo com seus planos pessoais. Durante o período pós-II Guerra Mundial há uma ascensão desta perspectiva, que tem uma grande sistematização feita por Margareth Tatcher, eleita como primeira ministra da Inglaterra em 1979: “A economia é o método. O objetivo é a alma”. De um lado temos o enquadramento das relações econômicas, de outro, uma psicologia do indivíduo.

No ano 1980 é lançado a terceira edição do Manual Estatístico e Diagnóstico de Transtornos Mentais (DSM – III), publicado e produzido pela Associação Americana de Psiquiatria (APA). O DSM-III incorpora uma perspectiva biológica à psiquiatria, desencadeando a constituição de um mercado pautado na psicofarmacologia, e, abrindo caminho para a assimilação de modelos epidemiológicos de pesquisa que darão base para a chamada “Psiquiatria Baseada em Evidências”.  Entre o neoliberalismo e esta nova psiquiatria, temos em comum os conceitos de escolha e responsabilidade, pautando um indivíduo que deve fazer boas escolhas mediante a um campo de informação, assumindo riscos de um investimento individual, e se responsabilizando pelas escolhas, em relação ao seu capital humano ou a sua saúde mental. A partir destes cruzamentos, a saúde mental investiu em uma centralidade cerebral, detectando neurotransmissores e correlações entre os transtornos. Criou-se os conceitos de funcionalidade e má-adaptação, que parte de um indivíduo tratável (ou cuidável) em relação a uma desadaptação com um mundo externo ao sujeito. Surge um modelo de saúde mental centrado em um indivíduo que deve se responsabilizar também pelo seu tratamento, realizando cálculos de benefícios e prejuízos em uma perspectiva de mundo cada vez mais reduzida.

Este curso está organizado de forma a investigar estas relações por meio de quatro movimentos:

  • Apresentação do problema do curso
  • Neoliberalismo e Estado
  • Neoliberalismo, Capital Humano e Saúde Mental.
  • Das críticas a autoridade psiquiátrica ao discurso das evidências.

PÚBLICO-ALVO: Profissionais e estudantes da área da saúde, das humanidades e interessados em geral.

INFORMAÇÕES:

  • DATA: 10 e 24 de março,  8 e 22 de abril de 2023. (sábados de 15 em 15 dias)
  • CARGA HORÁRIA:12 horas
  • HORÁRIO: Das 9 às 12h
  • TRANSMISSÃO:
    • Online, via Google Meet
    • O link será enviado por e-mail
  • NÚMERO DE VAGAS:50 vagas

CONTATO:

DOCENTES:

Wander Wilson é Doutor em Ciências Sociais (Antropologia) pela PUC-SP. É acolhedor no PROAD – UNIFESP e pesquisador no Núcleo de Estudos Interdisciplinares

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES:

  • 10/03/2023 – Apresentação do problema do curso
  • 24/03/2023 – Neoliberalismo e Estado
  • 08/04/2023 – Neoliberalismo, Capital Humano e Saúde Mental
  • 22/04/2023 – Das críticas a autoridade psiquiátrica ao discurso das evidências

INVESTIMENTO:

  • Valor único: R$ 150,00 em até 3x sem juros.

POLÍTICA DE DEVOLUÇÃO:

  • Desistência em até 7 dias corridos da data da compra: reembolso integral.
  • Desistência em até 20 dias corridos antes da data do evento: reembolso 50% do valor pago.
  • Desistência em menos de 20 dias corridos da data evento: não será feito reembolso.
  • Caso a compra tenha sido feita através de boleto, o reembolso será feito através de depósito ou transferência na conta bancária indicada pelo cliente.
  • Nas compras feitas com cartão de crédito, o estorno da compra será feito pela operadora do cartão. Se na ocasião do cancelamento da inscrição, o valor ou alguma parcela referente ao pagamento do workshop já tiver sido paga, a operadora deverá lançar um crédito do valor na próxima fatura.

AVISOS IMPORTANTES:

  • Após clicar em comprar vá ao canto superior direito e clique em “Ver Carrinho”
  • Leia atentamente todas as instruções contidas nessa descrição
  • Em nenhuma hipótese faça o pagamento de boletos vencidos

Informação adicional

TIPO DE INSCRIÇÃO

Profissionais sem Vínculo Unifesp, Profissionais Unifesp ou Trabalhadores da RAPS, Estudantes